Conhece o basquete para cadeirantes? Descubra e aprenda como funciona.

6 minutos para ler

Você já ouviu falar de basquete para cadeirantes? É uma modalidade esportiva para pessoas com deficiências físico-motoras que esteve presente em todas as edições dos Jogos Paraolímpicos até então, sendo esse o esporte mais antigo praticado por portadores de deficiências no Brasil.

E aí, ficou interessado? Continue lendo e aprenda mais sobre sua história, regras, curiosidades e muito mais!

Origem e história

Originalmente praticado por soldados norte-americanos que saíram gravemente feridos após a Segunda Guerra Mundial, o esporte foi trazido ao Brasil por Sérgio Seraphin Del Grande e Robson Sampaio de Almeida, quando entraram em contato com essa modalidade ao buscarem tratamento médico nos Estados Unidos, nos anos de 1950.

Em 1957 ocorreu o primeiro jogo de basquete em cadeira de rodas, organizado por Sérgio, assim dando início a modalidade esportiva mais antiga praticada por cadeirantes no Brasil.

Além disso, é uma das principais modalidades nos Jogos Paraolímpicos, presente desde sua primeira edição na Itália, em 1960.

Atualmente, no Brasil a modalidade é administrada pela Confederação Brasileira de Basquetebol em Cadeira de Rodas (CBBC), possuindo mais de 100 clubes disponíveis em todos os estados para quem quiser se filiar e praticar o esporte.

Como funciona?

Você sabe quais são as regras tradicionais do basquetebol, certo? Dois times de 5 jogadores cada, sendo a partida de 40 minutos distribuídos em 4 tempos de 10 minutos. Cada cesta dentro do garrafão vale 2 pontos, cestas fora dele valem 3 pontos e em arremesso livre 1 ponto apenas, não é isso?

Bem, então você já sabe quase tudo que há para saber sobre basquete para cadeirantes. A única coisa diferente do basquete tradicional, é que neste caso cada jogador deve quicar, arremessar ou passar a bola a cada dois toques no aro da cadeira de rodas.

Vale lembrar que, assim como em outros esportes para cadeirantes, as cadeiras esportivas são as mais indicadas, porque são adaptadas para a prática esportiva.

Não só possuem rodas inclinadas, que possibilitam maior mobilidade em pistas e quadras, como também oferecem maior resistência para atividades do tipo, fornecendo maior proteção ao usuário.

Curiosidades

Embora seja amplamente praticado aqui no Brasil, infelizmente nossas seleções, feminina e masculina, ainda não conquistaram nenhuma medalha nos Jogos Paraolímpicos.

Por outro lado, os Estados Unidos são os maiores campeões nas Paraolimpíadas de basquetebol, assim como no basquetebol tradicional. Que coisa, não?

Por conta da variedade de comprometimentos físico-motores que levaram os s a usar cadeira de rodas, existe uma classificação funcional para medir o nível de deficiência de cada um. Indo de 1.0 a 4.5, em que 1.0 se trata do maior grau de comprometimento e 4,5 do menor grau, a soma das classificações dos 5 s de um time não pode ultrapassar 14 pontos.

Cadeira de Rodas para Basquete Paraolímpico

Além disso, nos casos das competições paraolímpicas, as cadeiras de rodas precisam ser padronizadas. Devem seguir orientações específicas quanto ao diâmetro máximo dos pneus, altura do apoio para os pés em relação ao chão e até o tamanho da almofada, que pode variar de acordo com o grau de comprometimento do paratleta.

Apesar de não termos nenhuma medalha, isso não significa que nossos s são ruins. Muito pelo contrário! Nossa seleção feminina de basquete conquistou 3 medalhas de bronze nos Jogos Parapan-Americanos de 2011, 2015 e 2019.

E vale a pena lembrar que o Brasil é o maior medalhista dos Jogos Parapan-Americanos, mantendo a primeira colocação no quadro de medalhas desde a terceira edição, em 2007. Legal, né?

Histórias inspiradoras: paratletas de sucesso

Agora que já conhecemos a história, regras e algumas curiosidades do esporte, o que acha de aprendermos um pouco sobre dois nomes famosos do basquete de cadeira de rodas no Brasil?

Atleta da Seleção Brasileira Feminina de Basquete em Cadeira de Rodas

Você conhece Geisiane de Souza Maia? Praticando basquete em cadeira de rodas desde 2006, por incentivo de um amigo, a paratleta chegou à seleção brasileira em 2016 e tem estado lá até agora.

Antes de começar sua carreira nas quadras, Geisiane passava por diversos problemas de saúde, porém, após ser convidada a conhecer o basquete, deu a volta por cima e agora é fonte de inspiração para diversas mulheres, paratletas ou não, a lutarem e buscarem seus sonhos.

Já na seleção masculina, cabe destacar o pernambucano Erick Epaminondas da Silva. Assim como Geisiane, veio a experimentar o esporte por convite de um amigo e tem sido titular na nossa seleção desde então.

Atleta da Seleção Brasileira Masculina de Basquete em Cadeira de Rodas

O paratleta passou por outros esportes antes de se encontrar no basquete, no qual diz que foi o responsável por possibilitar que Erick realizasse seus sonhos e objetivos.

Apesar do basquete e o rugby de cadeira de rodas terem sido os únicos esportes paraolímpicos em que o Brasil não foi capaz de representar nos Jogos Paraolímpicos de Tóquio, em 2021, nossas seleções, feminina e masculina, já estão treinando duro para Paraolimpíadas de Paris, em 2024.

Mas por que praticar esportes?

A prática de atividades físicas é vital para a saúde física e mental, ajuda a prevenir o surgimento de doenças e melhora a qualidade de vida da pessoa. Não apenas isso, ela traz diversos benefícios, como melhora na autoestima, no condicionamento físico, realização pessoal, sensação de independência e possibilita mais interações sociais.

Agora que conhecemos um pouco sobre a importância e os benefícios das atividades físicas, pode-se dizer que práticas como yoga e musculação, além de esportes adaptados como futebol, basquete e ciclismo, podem transformar vidas.

Muitos atletas deficientes começam por hobby ou convite de amigos, como vimos os casos de Geisiane e Erick, e acabam conquistando a realização de seus sonhos e objetivos pessoais.

Deu para ver que a prática de atividades físicas é muito importante, não é? Que tal dar uma chance para algum esporte interessante e começar a praticá-lo?

E, caso sinta que finalmente encontrou aquela atividade bacana que esteve procurando, visite nosso site para encontrar a cadeira de rodas ideal para suas necessidades diárias ou facilitar sua prática esportiva.

E aí, achou o post interessante ou útil de alguma forma? O que acha de compartilhá-lo com seus amigos nas redes sociais? Aproveite e nos siga no Facebook e Instagram, assim você sempre ficará sabendo quando tivermos mais conteúdos legais para você.


Você também pode gostar

Deixe um comentário

-