Quais são os esportes radicais adaptados para deficientes? Confira aqui

3 minutos para ler

Praticar atividades físicas traz vários benefícios para a saúde mental e física, proporcionando sensação de alegria e prazer. Os esportes radicais adaptados para deficientes podem representar muito mais que isso. Momentos de contato pessoal, realização pessoal e felicidade são proporcionados, gerando uma sensação de superação.

A autoestima e a autoconfiança dos praticantes também melhoram, deixando-os mais seguros e otimistas para alcançarem os objetivos. A adaptação do esporte depende do nível de dificuldade e da atividade, podendo estar relacionada ao modo de operação ou ao equipamento.

Se você deseja conhecer os principais esportes adaptados para pessoas com deficiência, não perca o nosso post. Boa leitura!

Rapel

Tudo sobre Rapel e dica de roteiro - Apuama Rafting

O rapel é um esporte que provoca muita adrenalina ao praticante e é caracterizado pelo ato de descer construções ou montanhas verticalmente por meio de equipamentos e cordas adequados, para que a pessoa com deficiência possa aproveitá-lo com uma segurança maior.

Os principais equipamentos usados são capacete, freio, luva, mosquetão, arnês (cadeirinha) e corda. O recomendado é que seja guiado por outras pessoas, para que o praticante desça livremente, sem contato com árvores e parede. Um termo de responsabilidade precisa ser assinado, e as condições emocionais e sinais vitais para a descida são monitorados durante todo o tempo.

Rafting

Rafting: onde praticar no Brasil?

Os parques de aventura costumam investir em acessibilidade para que a pessoa com deficiência também possa praticar esportes radicais ao ar livre. Um deles é o rafting, que é a descida de corredeiras de rios em equipamentos usando botes infláveis.

Antes da atividade, todos recebem um treinamento para aprender a remar e instruções de segurança. Um guia faz a orientação para todos, ficando na parte de trás do bote. Para a adaptação, foram desenvolvidas cadeirinhas que proporcionam estabilidade em relação ao bote, e colete salva-vidas que deixa o rosto sempre voltado para cima em caso de queda na água.

Muitos parques também contam com trilhas ecológicas adaptadas para quem tem dificuldade de locomoção, com corrimões e mais espaço em alguns trechos.

Tirolesa

Tirolesa - Alpen Park | Compra de Ingressos

A tirolesa é um esporte passivo, não exigindo esforço físico da pessoa. Assim, pode ser praticada por qualquer um, principalmente aquele que tem alguma deficiência. A atividade possibilita que o indivíduo escorregue preso a um equipamento adaptado e seguro a partir da cadeira de um parapente, que se move por meio de roldanas de um ponto a outro.

O esporte causa muita adrenalina e emoção, ao mesmo tempo que não precisa de esforço. Várias tirolesas ficam acima de lagos, florestas e outras paisagens, fazendo com que a experiência seja muito positiva.

Asa Delta

Asa Delta: 40 anos do primeiro voo no Brasil | Hangar 33

Esse esporte necessita de condições para decolagem, como uma rampa para alcançar uma velocidade inicial e vento suficiente. Os equipamentos de segurança usados incluem capacete e cinta, que poderá conectar o participante à asa delta, deitado para baixo. Para praticar, é preciso ter mais de 16 anos e contar com a ajuda de outra pessoa na hora da decolagem.

Agora que você já conhece os esportes radicais adaptados para deficientes, lembre-se de se aventurar e de ter um acompanhamento com um profissional e equipamentos adequados. Com isso, é possível praticar com segurança.

Gostou deste conteúdo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

-